Programa brasileiro de revitalização de pastagens é destaque na COP 28: Uma estratégia inovadora para a agricultura sustentável

Durante o encerramento da COP 28 em Dubai, o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) do Brasil brilhou com seu ambicioso programa de recuperação de pastagens degradadas. O evento, que reuniu representantes de governos e sociedade civil, foi palco para a apresentação deste projeto inovador na última segunda-feira (11).

No Pavilhão Brasil, um painel dedicado marcou o lançamento do Programa Nacional de Conversão de Pastagens Degradadas, contando com a presença e moderação de Roberto Perosa, Secretário de Comércio e Relações Internacionais do Mapa. O evento teve ainda a participação de importantes parceiros, incluindo o Banco do Brasil e gigantes do agronegócio como Syngenta, JBS e Marfrig.

Roberto Perosa destacou a importância do programa para o futuro da produção agropecuária brasileira. ‘Este é um passo gigantesco para o Brasil. Pretendemos dobrar nossa produção nos próximos dez anos, transformando pastagens degradadas em terras produtivas’, afirmou.

A COP 28, que durou mais de dez dias, reuniu cerca de 70 mil participantes de diversos países, focados em discussões vitais sobre o meio ambiente e estratégias para prevenir uma catástrofe climática global.

Além do painel de lançamento, a equipe do Mapa liderou diversas reuniões bilaterais com países como México, Uruguai e Chile, e colaborou em uma significativa reunião com o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), enfatizando o papel do Brasil na vanguarda de práticas agrícolas sustentáveis e inovadoras.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo