Goiás ocupa a nona posição entre os estados que mais criam empregos formais

Por três anos seguidos, Goiás ocupa a posição de destaque na criação de empregos na região Centro-Oeste, conforme os últimos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego. O estado encerrou o ano de 2023 com um saldo positivo impressionante de 50.276 vagas de emprego, seguido por Mato Grosso com 40.726, Distrito Federal com 36.968 e Mato Grosso do Sul com 27.986. A nível nacional, Goiás figura como o nono estado com maior número de empregos formais criados.

Desde o início da pandemia de Covid-19 em 2021, Goiás tem se destacado na geração de empregos. “Durante este período crítico, redobramos nossos esforços para fortalecer pequenas empresas e atrair novas indústrias, resultando em significativo crescimento em cidades como Aporé e Catalão”, destaca o governador Ronaldo Caiado.

Exemplos notáveis de investimento incluem a instalação de uma usina de etanol pela Nardini Agroindustrial em Aporé, que promete criar cerca de 2.000 empregos diretos e indiretos, e a expansão da HPE Automotores, representando Mitsubishi Motors e Suzuki Veículos, em Catalão, que celebra 25 anos e um histórico de significativa geração de empregos.

Adriano da Rocha Lima, secretário-geral de Governo, ressalta que o sucesso de Goiás é resultado de investimentos estratégicos e políticas públicas focadas na qualificação da força de trabalho e na criação de melhores oportunidades de emprego, refletindo o potencial econômico e a capacidade do estado de gerar empregos em diversos setores.

O crescimento de empregos em Goiás resulta da diferença entre 912.719 admissões e 862.443 desligamentos em 2023, com o setor de serviços liderando a criação de 28.791 novos empregos formais, seguido pelo comércio com 10.861 e pela indústria com 7.660. O setor de serviços, impulsionado principalmente por atividades de informação, comunicação, financeiras e imobiliárias, vem crescendo há 34 meses consecutivos, destacando-se como um motor econômico crucial para o estado.

Além disso, o estoque de empregos em Goiás tem mostrado um aumento constante, com um total de 1.429.809 vínculos celetistas ativos até o momento, representando um aumento de 21,4% ou 252.130 empregos formais nos últimos três anos, evidenciando a sólida expansão do mercado de trabalho goiano.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo