Caiado anuncia medidas de enfrentamento à dengue em Goiás e busca apoio federal

Em uma iniciativa coordenada para combater a epidemia de dengue e chikungunya, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, acompanhado pelo secretário de Saúde do Estado, Rasivel dos Reis, expôs quarta-feira (07/02) um plano estratégico à ministra da Saúde, Nísia Trindade. A apresentação, que contou também com a presença de Flúvia Amorim, superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, foi realizada por videoconferência diretamente do Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Caiado, destacado como o único governador médico do Brasil, detalhou a implementação de gabinetes de crise, previstos para serem estabelecidos em todos os 246 municípios de Goiás, e fez um apelo por recursos financeiros do Ministério da Saúde para que as prefeituras possam efetuar exames laboratoriais, um pedido prontamente aceito pela ministra.

A ação do governo estadual frente à situação emergencial foi destacada como eficaz e abrangente, já com 40 municípios com pontos de monitoramento epidemiológico instalados. O governador ressaltou a importância da união de esforços entre governos, municípios e população para prevenir casos graves e óbitos decorrentes da dengue, enfatizando que tais desfechos são evitáveis com precauções básicas como a manutenção da limpeza de ambientes que favoreçam a proliferação do mosquito transmissor. Os recursos solicitados à ministra têm como destino garantir a capacidade dos municípios de realizar os exames necessários.

Rasivel dos Reis, secretário da Saúde, esclareceu que esses procedimentos são cruciais para uma avaliação e tratamento eficazes, mencionando a dificuldade em administrar a hidratação dos pacientes sem o suporte diagnóstico adequado. Ele enfatizou que tais iniciativas são vitais para prevenir o agravamento dos casos e consequente redução de hospitalizações.

O governador manifestou preocupação com o número de mortes pela doença no estado, citando a ocorrência de óbitos entre jovens e adolescentes em 2024, atribuídos à circulação do sorotipo 2 da dengue. Esta situação alarmante reforça a urgência das medidas adotadas para contenção da epidemia em Goiás.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo