Setor cervejeiro no Brasil registra alta de 6,8% em 2023

Em 2023, o número de cervejarias no Brasil atingiu 1.847, representando um aumento de 6,8% em comparação ao ano anterior, com 118 novas cervejarias. Os dados foram revelados no Anuário da Cerveja do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), divulgado durante o Congresso Brasileiro de Ciência e Tecnologia (CBTEC), realizado em São Paulo no evento Brasil Brau.

De acordo com Eduardo Marcusso, geógrafo do Ministério da Agricultura, o crescimento do setor tem sido consistente, embora o ritmo tenha diminuído devido à base maior. Ele destacou a importância da interiorização da produção de cerveja como um desafio para o setor.

São Paulo lidera com o maior número de cervejarias, totalizando 410 estabelecimentos, seguido pelo Rio Grande do Sul com 335, Minas Gerais com 235, Santa Catarina com 225 e Paraná com 171. Regionalmente, o Sudeste possui o maior número de produtores, com 856 cervejarias, seguido pelo Sul com 731, Nordeste com 122, Centro-Oeste com 96 e Norte com 42.

A capital paulista se destaca como a cidade com mais cervejarias registradas, somando 61. Outras cidades com números expressivos incluem Porto Alegre com 43, Curitiba com 26, Caxias do Sul (RS) com 23, Nova Lima (MG) com 22 e Belo Horizonte com 21.

O anuário também revelou que 771 municípios brasileiros possuem pelo menos uma cervejaria, um aumento de 6,8% em relação a 2022, que registrou 722 municípios. O Rio Grande do Sul lidera em termos de cervejarias per capita, com um estabelecimento para cada 32.486 habitantes, seguido por Santa Catarina, Espírito Santo, Paraná e Minas Gerais. Na média nacional, há uma cervejaria para cada 109.9 mil habitantes.

Em 2023, o número de produtos registrados também cresceu 6,6%, totalizando 45.648 cervejas, com uma média de 24,7 registros por estabelecimento. Pela primeira vez, o anuário apresentou dados sobre a produção nacional, revelando um volume total de 15,36 bilhões de litros. A Região Sudeste lidera a produção, com 53,4% do total nacional, enquanto a Região Norte foi a única a não ultrapassar 1 bilhão de litros.

A importação de cerveja continua em declínio desde 2019, com uma redução de 51,1% em volume e 39,4% em valor, totalizando 7.130.686 litros e US$ 8.597.137. Vitor Oliveira, coordenador-geral de vinhos e bebidas do Mapa, destacou que a cerveja brasileira tem ganhado espaço sobre as importadas.

A Alemanha se tornou a principal origem da cerveja importada pelo Brasil em 2023, com 1.856.864 litros, representando 26% do total, seguida por Bélgica, Uruguai, Espanha, Paraguai e Argentina. Nas exportações, houve um aumento de 18,6% no volume, totalizando 231.977.494 litros, e um faturamento de US$ 155,7 milhões, um aumento de 28,8% em relação ao ano anterior. Os principais destinos das exportações brasileiras foram Paraguai, Bolívia, Uruguai, Chile, Cuba, Venezuela e Estados Unidos.

O superávit comercial fechou 2023 em US$ 147 milhões. O setor de bebidas alcoólicas registrou uma queda de 0,51% no número de empregos, totalizando 58.863 vagas, enquanto o segmento de cerveja caiu 1,9%, mantendo-se acima de 40 mil empregos com 41.346 postos gerados.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo