ANÚNCIO

Novos diretores do Banco Central assumem cargos e preparam-se para participar do próximo Copom

Na manhã desta terça-feira, Paulo Picchetti e Rodrigo Alves Teixeira, ambos economistas, oficialmente ingressaram como diretores do Banco Central (BC), marcando o início de suas novas funções. Os dois profissionais foram aprovados pelo Senado no mês de dezembro e agora ocupam posições-chave na instituição financeira.

Paulo Picchetti assume a diretoria de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos, enquanto Rodrigo Alves Teixeira assume a Diretoria de Administração. Com a assinatura do termo de posse, eles estão habilitados a participar da próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), agendada para os dias 30 e 31 de janeiro.

Além das nomeações dos diretores, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, anunciou algumas mudanças na diretoria. Fernanda Guardado, cujo mandato terminou em 31 de dezembro, será sucedida por Paulo Picchetti na diretoria de Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos. Já na Diretoria de Administração, Carolina de Assis Barros, anteriormente diretora, foi transferida para a Diretoria de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta, substituindo o ex-diretor Maurício Moura, cujo mandato também encerrou-se no final do ano passado.

As trajetórias profissionais dos novos diretores são notáveis. Rodrigo Alves Teixeira é funcionário de carreira do BC e possui uma sólida formação acadêmica, com graduação, mestrado e doutorado em economia pela Universidade de São Paulo (USP). Além disso, ele lecionou no Departamento de Economia da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e ocupou cargos de destaque em instituições como o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão.

Por sua vez, Paulo Picchetti é um renomado professor pesquisador da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-SP). Ele possui mestrado em Economia pela USP e doutorado em Economics pela University of Illinois-System. Sua vasta experiência inclui pesquisas para o Instituto Brasileiro de Economia (Ibre-FGV), com foco em métodos quantitativos em economia, acumulando mais de duas décadas de contribuição para a produção de estatísticas econômicas.

Vale ressaltar que, de acordo com a Lei Complementar 179, que estabeleceu a autonomia do Banco Central, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a diretora de Relacionamento, Carolina de Assis Barros, e o diretor de Regulação, Otávio Ribeiro Damaso, permanecerão em seus cargos até 31 de dezembro de 2024, quando encerra o atual mandato.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo