Jornal VER7 – Distrito Federal Recorre ao Exército na Luta Contra a Epidemia de Dengue

Em meio a um alarmante aumento nos casos de dengue, o Governo do Distrito Federal anunciou sua decisão de solicitar o auxílio do Exército Brasileiro para reforçar as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti. A Secretaria de Saúde do DF declarou situação de emergência na saúde pública, e o decreto correspondente foi publicado em uma edição extraordinária do Diário Oficial nesta quinta-feira (25).

A explosão de casos de dengue no Distrito Federal é evidenciada por estatísticas preocupantes. Nas três primeiras semanas de 2024, foram registrados 17.150 casos suspeitos da doença, um aumento de impressionantes 646% em relação ao mesmo período do ano anterior. Desse total, 16.628 foram classificados como casos prováveis pela Secretaria de Saúde, contrastando drasticamente com os 2.154 casos prováveis registrados em 2023.

A região administrativa da Ceilândia lidera as estatísticas com o maior número de casos de dengue, somando 3.963 ocorrências. Em seguida, estão Sol Nascente/Pôr do Sol com 1.110 casos, Brazlândia com 1.045 e Samambaia com 997 casos. A gravidade da situação é enfatizada pela confirmação de três óbitos relacionados à doença até o momento em 2024.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, a secretária de Saúde do DF, Luciene Florêncio, expressou a necessidade de tomar medidas imediatas: “A vacina nos traz algum alívio, mas é crucial que cumpramos nossa parte no combate à dengue. Estamos em contato com o Ministério da Defesa para solicitar o apoio do Exército e fortalecer nossa frente de combate ao mosquito.”

Além disso, o Ministério da Saúde anunciou que 521 municípios brasileiros, incluindo o Distrito Federal, foram selecionados para iniciar a vacinação contra a dengue através do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de fevereiro. Essas áreas são caracterizadas por três critérios: serem constituídas por municípios de grande porte, com mais de 100 mil habitantes; apresentarem alta transmissão de dengue no período de 2023-2024; e terem uma maior prevalência do sorotipo DENV-2.

É importante destacar que a vacinação se concentrará em crianças e adolescentes com idades entre 10 e 14 anos, um grupo que representou um número significativo de hospitalizações devido à dengue nos últimos anos, com 16,4 mil casos registrados de janeiro de 2019 a novembro de 2023. Este grupo só ficou atrás dos idosos, para os quais a vacina não foi autorizada.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo