DestaqueEconomiaManchetesMundo

Governo alemão apóia ‘eletrônicos em que você pode confiar’

O governo alemão comprometerá milhões de euros em financiamento à pesquisa e desenvolvimento de eletrônicos, como parte de um esforço mais amplo para reduzir a dependência das importações de equipamentos usados ​​em sua infraestrutura crítica, informou nesta terça-feira.

Berlim resistiu aos pedidos dos EUA de excluir o fornecedor chinês Huawei de suas redes de telecomunicações por motivos de segurança nacional, mas o debate que se seguiu aumentou a consciência de que suas deficiências tecnológicas representam uma ameaça por si só.

“É importante mantermos nossa competitividade internacional e nossa soberania nessas tecnologias-chave”, disse a ministra da Pesquisa, Anja Karliczek, destacando áreas como assistência médica, fábricas inteligentes e carros autônomos.

As três operadoras de telecomunicações da Alemanha usam todos os equipamentos Huawei em suas redes existentes e, ao atualizá-los para a tecnologia 5G de alta velocidade, os novos equipamentos provenientes do exterior estão sendo submetidos a um exame e certificação mais rigorosos.

Olhando para o 6G, a próxima iteração da tecnologia de comunicações móveis, Karliczek disse que seria vital desenvolver e adquirir equipamentos de rede localmente.

Karliczek anunciou um primeiro prêmio de 25 milhões de euros (US $ 28 milhões) em financiamento da iniciativa “Technology You Can Trust” de seu ministério, para um projeto trabalhando em processadores para computação de borda e dois em inteligência artificial.

Ela emitiu um pedido de pedidos de uma segunda parcela de 20 milhões de euros. No geral, o governo da chanceler Angela Merkel destinou 400 milhões de euros para apoiar pesquisa e desenvolvimento em microeletrônica.

Embora as quantias sejam pálidas em comparação com a quantidade que a China e os Estados Unidos estão investindo em P&D em eletrônica, o programa simboliza a preferência da Alemanha por resolver problemas pragmáticos sobre a postura política na arena comercial.

“Precisamos de toda a cadeia de valor – do design do chip à produção de semicondutores”, disse Gunther Kegel, presidente do grupo da indústria eletrônica VDE na Alemanha.

Mostre mais

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo