ManchetesMundo

Mundo: Polêmica no Chile por prisão de militar de 91 anos por crimes na ditadura

Mundo: Polêmica no Chile por prisão de militar de 91 anos por crimes na ditadura
Avalie esta postagem

Mundo: Polêmica no Chile por prisão de militar de 91 anos por crimes na ditadura. A ação está provocando uma controvérsia no país por causa da velhice e do estado de saúde dos idosos

24/08/2017 – 01:00:09

O general aposentado do exército chileno, Héctor Orosco, foi preso aos 91 anos por crimes cometidos durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), provocando uma controvérsia no país por causa da velhice e do estado de saúde dos idosos.

Embora sua defesa garanta que Orosco sofre de demência senil, o ex-general foi condenado a 10 anos de prisão pelo assassinato de dois líderes esquerdistas em 1973 pelo juiz da Suprema Corte, Jaime Arancibia, depois de descobrir que “ele é lúcido e pode começar a cumprir a sentença Em condições normais “, disse um relatório do judiciário na quarta-feira.

Orosco foi condenado em julho passado e deveria comparecer perante os tribunais para serem presos, bem como outros três ex-soldados.

O militar da reserva não apareceu e foi declarado fugitivo. Oficiais da polícia detiveram a Orosco na segunda-feira e foram levados para a prisão em Punta Peuco, a norte de Santiago, onde as pessoas acusadas de violar os direitos humanos durante a ditadura estão sentindo sentenças.

As famílias dos arguidos pedem que sejam libertados por causa da velhice e dos problemas de saúde que enfrentam.

“Um pouco mais e eles o deixam nu para humilhá-lo mais. Isso não é justiça, é vingança”, disse René Orosco, irmão do ex-general, à imprensa.

Sua prisão provocou um debate na imprensa e nas redes sociais ao longo da idade de Orosco, um dos condenados por mais de 3.200 mortes e desaparecimentos ocorridos durante a ditadura de Pinochet.

“O país pode iniciar uma conversa nesta direção, mas o governo não mudará sua doutrina sobre o assunto. Precisamos avançar na verdade e na justiça”, disse Paula Narvaez, porta-voz do governo.

O fechamento da prisão de Punta Peuco e a transferência de seus detidos para prisões comuns é uma promessa da presidente Michelle Bachelet, que garantiu que ela irá cumprir com ela antes do final de seu mandato em março de 2018.

 

Mundo, Manchetes

Related Articles

Deixe uma resposta

Close