ANÚNCIO

Modelo de Consórcio de Transporte em Goiânia Recebe Elogios de Grupo Técnico do Entorno do DF

O coordenador-geral de Concessões Rodoviárias do Ministério dos Transportes e do Grupo de Trabalho do Transporte do Entorno do Distrito Federal, Anderson Bellas, destacou o potencial do consórcio proposto pelo estado para o transporte de Goiânia e Região Metropolitana como um exemplo nacional.

O grupo técnico visitou a capital goiana para conhecer de perto o modelo de gestão compartilhada aplicado na região.

Bellas elogiou a distribuição de competências que envolve operação, fiscalização e o consórcio de empresas, enfatizando sua capacidade de aumentar a qualidade e a eficiência dos serviços prestados aos usuários, uma abordagem que muitos sistemas de transporte no país têm dificuldade em implementar.

Representantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Secretaria de Mobilidade e Transporte do Governo do Distrito Federal acompanharam a comitiva, interessados em entender melhor o funcionamento do sistema que atende diariamente cerca de 500 mil passageiros em Goiânia e outros 18 municípios vizinhos.

Durante a visita, foram discutidas as melhorias proporcionadas pela atual configuração do sistema, viabilizada pela Lei Complementar 169, que regulamentou a política de subsídio ao transporte no final de 2021. O secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima, explicou que essa nova governança permite investimentos significativos, como a aquisição de ônibus elétricos e a modernização dos terminais e abrigos de ônibus, resultando em serviços de maior qualidade.

Caroline Fleury, secretária do Entorno do DF, ressaltou a necessidade de mudanças no transporte da região, buscando tarifas justas e serviços de qualidade para os usuários. Ela expressou interesse em replicar as decisões e os modelos bem-sucedidos observados em Goiânia.

Enquanto isso, na Região Metropolitana de Goiânia, a tarifa de ônibus permanece congelada desde 2019, graças ao subsídio mantido pelo Governo de Goiás em parceria com as prefeituras locais.

O projeto Nova Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (Nova RMTC), lançado no início do ano com investimentos de R$ 1,6 bilhão até 2026, está transformando o sistema de transporte na região. Esse projeto, financiado pelo Governo de Goiás e pelas empresas concessionárias, visa melhorar a infraestrutura e a frota, além de implementar um sistema integrado com bilhetagem eletrônica e tarifa flexível, oferecendo benefícios como Bilhete Único, Cartão Família, Meia Tarifa e Passe Livre do Trabalhador.

O Governo de Goiás propõe a criação de um consórcio interfederativo na região do Entorno do DF, com o objetivo de compartilhar subsídios com a União e o Governo do Distrito Federal. Esse modelo de parceria equalizaria os custos entre os entes envolvidos.

A visita técnica incluiu apresentações sobre as operações do sistema e uma demonstração das instalações da central de controle operacional pelo presidente da CMTC, Tarcísio Abreu, e pelo diretor executivo do consórcio Redemob, Leomar Avelino.

Anderson Bellas, coordenador-geral do Grupo de Trabalho, adiantou que um relatório será apresentado ao secretário-executivo do Ministério dos Transportes para orientar as decisões futuras sobre a gestão do transporte no Entorno do DF, visando principalmente a redução das tarifas para a população.

O subsecretário de Operações da Secretaria de Mobilidade do Governo do Distrito Federal, Márcio Antônio de Jesus, elogiou a visita, destacando o desejo de replicar o sucesso do modelo observado em Goiânia.

A programação terminou com uma visita ao Terminal Paulo Garcia, parte do corredor BRT Norte-Sul, inaugurado há cerca de um ano, que oferece instalações modernas e serviços como câmeras de segurança, bicicletário e informações em tempo real sobre as linhas de ônibus.

Avalie o Post post

Mostre mais

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo