DestaqueManchetesMundo

Jornal VER7 – A Itália entra em novo território depois que o governo populista formalmente toma as rédeas

A aliança entre o Movimento Cinco Estrelas e a Liga de extrema-direita ganharam o endosso da câmara

O novo governo da Itália assumiu oficialmente as rédeas da terceira maior economia da zona do euro na quarta-feira, depois que uma vitória decisiva na Câmara dos Deputados do país deu aprovação parlamentar a uma coalizão populista que alarmou as autoridades da UE.

A aliança entre o Movimento Anti-Estabelecimento de Cinco Estrelas e a Liga de extrema-direita obteve o endosso da Câmara com 350 votos a favor, 236 contra e 35 abstenções, depois da aprovação do Senado para o governo do primeiro-ministro Giuseppe Conte.

A vitória nas duas casas, considerada um dado desde que o governo foi empossado pelo presidente na sexta-feira, dá a Conde, de 53 anos, o mandato de realizar seu programa para um “governo de mudança”.

A primeira tarefa de Conte depois de conquistar a confiança do parlamento é viajar para a cúpula do G7 no Canadá, onde ele fará sua estréia na política internacional apenas duas semanas depois de chegar ao cenário nacional.

“No G7, a primeira coisa para a Itália será se dar a conhecer, a segunda para garantir que seja respeitada”, disse Conte aos repórteres na quarta-feira.

Um advogado com pouca experiência política, Conte foi nomeado por Salvini e o chefe da Five Star, Luigi Di Maio – ambos os quais são agora também seus vice-primeiros-ministros.

– Planos ambiciosos –

O programa de seu governo – que combina cortes de impostos radicais com medidas anti-austeridade, como uma renda mensal básica para os cidadãos mais pobres – deixou muitos observadores italianos e internacionais perplexos diante da enorme dívida pública do país.

A Itália está gemendo sob uma dívida de 2,3 trilhões de euros, que representa 132% de seu produto interno bruto, a segunda maior taxa da zona do euro depois da Grécia.

“Vamos passar o verão sem dificuldades, mas haverá problemas no outono se o novo governo implementar apenas 50% do que planejou”, disse o chefe do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), Klaus Regling, na quarta-feira.

Conte não deu detalhes em seus discursos políticos ao senado e à câmara sobre como as garantias que poderiam custar bilhões de euros serão financiadas.

Enquanto isso, ele também reiterou o desejo de seu governo de introduzir faixas de imposto de renda de 15 e 20 por cento, mas não deu nenhuma data sobre quando elas seriam implementadas.

O programa foi fortemente criticado no debate pré-eleitoral da câmara pelos aliados de esquerda da Liga, Forza Italia e Irmãos da Itália, e em particular pelo Partido Democrata (PD), de centro-esquerda.

As três partes se perguntaram onde estava a cobertura do financiamento para as ambiciosas idéias do governo, ridicularizando seus planos de reduzir a dívida com o crescimento econômico, enquanto o chefe do PD, Graziano Delrio, também criticou a Five Star pela linha dura do programa sobre imigração.

Na terça-feira, o Senado pediu a redistribuição “obrigatória” dos solicitantes de asilo pela UE, e as promessas da coalizão de conter as chegadas de migrantes e acelerar as expulsões de imigrantes ilegais refletem as promessas eleitorais da Liga Nacionalista de Matteo Salvini.

– Imigração –

Na quarta-feira, o novo ministro do Interior, Matteo Salvini, deu um passo à frente dizendo que queria abrir mais centros de detenção para a repatriação de migrantes para que “não passeassem em nossas cidades”.

A promessa de Conte de promover uma revisão das sanções contra a Rússia também ecoam a insistência de Salvini em um abrandamento das relações com o país e seu presidente Vladimir Putin.

Salvini não perdeu tempo criando polêmica desde que tomou posse na sexta-feira, dizendo no fim de semana que a Itália “não pode ser o campo de refugiados da Europa” em uma visita à Sicília, um dos principais pontos de desembarque do país.

Ele também causou um incidente diplomático com a Tunísia depois de acusar o país norte-africano de exportar “condenados”, levando a Tunísia a expressar “profunda surpresa” à luz da “cooperação na luta contra a imigração ilegal”.

Salvini terminou um dia cheio de acontecimentos ao discutir com o jogador de futebol internacional italiano Mario Balotelli.

Em uma entrevista, Balotelli – cujos pais são imigrantes ganenses – lamentou que ele não tenha a cidadania italiana até os 18 anos, apesar de ter nascido e sido criado na Itália.

“Eu não sou um político, mas acho que a lei deve mudar”, disse ele na terça-feira.

Levando ao Twitter, o novo ministro do interior escreveu: “Caro Mário, Ius Soli” (cidadania de primogenitura) não é minha prioridade, nem a prioridade dos italianos. Atencie e divirta-se correndo atrás da bola.

Jornal VER7 – A Itália entra em novo território depois que o governo populista formalmente toma as rédeas
5 (100%) 1 vote
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *