CiênciaDestaqueManchetesMundoSaúde

Jornal de Goiás – um resumo sobre fumar

O tabagismo causa dez mortes por minuto

A cada minuto, os fumantes chegam a quase 11 milhões de cigarros e 10 morrem com o hábito, segundo especialistas, em uma indústria que gera bilhões de dólares.

Aqui estão alguns fatos e números à frente do Dia Mundial Sem Tabaco da ONU, na quinta-feira.

– Quantas pessoas fumam? –

Existem cerca de um bilhão de fumantes no mundo, cerca de um sétimo da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras estimativas.

A China tem o número mais alto: de sua população de 1,3 bilhão de habitantes, cerca de 315 milhões são fumantes e consomem mais de um terço dos cigarros do mundo, disse a OMS em um relatório no ano passado.

A Indonésia tem a maior proporção de fumantes em 76% dos homens com mais de 15 anos.

Cerca de 80% dos fumantes do mundo vivem em países de baixa e média renda e 226 milhões deles são considerados pobres.

– No declínio? –

Um estudo publicado na revista médica The Lancet, em abril de 2017, diz que a porcentagem de pessoas que usam tabaco todos os dias caiu em 25 anos.

Um em cada quatro homens e uma em cada 20 mulheres fumavam diariamente em 2015, menos de um em cada três homens e uma em 12 mulheres em 1990, descobriu.

Mas as reduções nas taxas de tabagismo em algumas nações “são quase inteiramente compensadas pelo consumo crescente em muitos países com regulamentações mais fracas de controle do tabaco”, diz o lobby anti-tabagismo da The Tobacco Atlas.

Estes incluem partes mais pobres do mundo, em particular na África Subsaariana.

O uso do tabaco diminuiu em lugares como Austrália, Brasil e Grã-Bretanha, onde as medidas anti-tabagismo incluem maiores impostos, proibições e advertências sanitárias. Os cigarros eletrônicos também entraram em alguns mercados.

A França registra um milhão de fumantes diários a menos em 2017 em relação a 2016.

As vendas de tabaco caíram até na China, 10 por cento abaixo do pico de 2012, de acordo com o grupo de pesquisa de mercado da Euromonitor International.

– Um alto custo humano –

O tabaco é a principal causa de morte evitável, dizem especialistas.

O tabagismo ativo ou passivo mata mais de sete milhões de pessoas todos os anos, segundo a OMS, com o consumo de tabaco culpado pela morte de uma pessoa em média a cada seis segundos.

Cânceres, ataques cardíacos, derrames e doenças pulmonares são as principais doenças associadas ao tabaco.

No século XX, o fumo cobrava 100 milhões de vidas – mais do que os 60 a 80 milhões de mortes durante a Segunda Guerra Mundial e os 18 milhões na Primeira Guerra Mundial combinados.

Nas taxas atuais, o tabaco pode responder por mais de um bilhão de mortes no século 21, diz a OMS.

O tabagismo consome quase seis por cento dos gastos mundiais em saúde, bem como quase dois por cento do PIB global, de acordo com um estudo de janeiro de 2017 na revista científica Tobacco Control.

Isso totalizou US $ 1,436 bilhão globalmente em 2012, 40% suportado pelos países em desenvolvimento, diz.

– Lucros e produção –

Em todo o mundo, 4,3 milhões de hectares (10,6 milhões de acres) de terra são usados ​​para cultivar tabaco, segundo a OMS, uma área do tamanho da Suíça.

As vendas de cigarros valem mais de US $ 680 bilhões anuais, segundo a Euromonitor.

A China é o principal produtor de tabaco, cultivando cerca de 40% das folhas do mundo, afirma o The Tobacco Atlas.

Cinco empresas controlam 80% do mercado global de cigarros. As seis maiores empresas lucraram mais de US $ 62 bilhões em 2015, diz.

Fumantes chegam a cerca de 5,7 trilhões de cigarros por ano, diz o The Tobacco Atlas. Isso funciona para quase 11 milhões a cada minuto.

Filtros feitos de acetato de celulose não biodegradável tornaram-se o tipo de lixo mais presente nas praias do mundo.

Mostre mais

# Mauro Junior

Mauro Junior é jornalista.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo