CinemaDestaqueMagazineManchetes

Jornal de Goiás – Filmfest de Berlim para destacar o #MeToo momento

"A ressonância internacional de #MeToo rapidamente deixou claro que o problema não se limita a Hollywood", disse o diretor da Berlinale, Dieter Kosslick.

O festival de cinema de Berlim deste mês, a primeira grande exposição cinematográfica da Europa na sequência das revelações de Harvey Weinstein, iluminará a má conduta sexual na indústria, disse o diretor nesta terça-feira.

O chefe da Berlinale, Dieter Kosslick, disse em uma coletiva de imprensa que as exibições e convidados de Hollywood e a indústria cinematográfica global na 68ª edição abrirão um longo debate sobre discriminações e abusos desenfreados.

“A ressonância internacional de #MeToo rapidamente deixou claro que o problema não se limita a Hollywood”, disse ele ao anunciar os cerca de 400 filmes programados durante o evento de 11 dias.

“A Berlinale se vê como um fórum onde os problemas podem ser exibidos e ele irá hospedar uma série de eventos que devem contribuir para mudanças concretas”.

Ele disse que estes incluirão discussões sobre a luta contra a má conduta sexual na indústria do entretenimento, gerando financiamento para mais filmes femininos e recebendo mais mulheres nas áreas técnicas do cinema.

Berlim classifica com Cannes e Veneza entre os principais festivais de cinema da Europa e geralmente é considerado o mais político.

– Desqualificado –

Kosslick disse um relatório separado para a imprensa estrangeira que ele desclassificou que certas produções participaram deste ano – “menos de cinco”, disse ele – porque um diretor, roteirista ou estrela anexado à produção enfrentava acusações credíveis de má conduta sexual.

Ele se recusou a dizer quais filmes foram excluídos.

Kosslick acrescentou que quatro dos 19 filmes em competição pelo prêmio Golden Bear foram direcionados por mulheres: “não é excelente, mas lá está você”.

O evento estrelado será lançado em 15 de fevereiro com a estréia mundial da “Isle of Dogs” de Wes Anderson, uma característica animada expressada por estrelas, incluindo Bill Murray, Jeff Goldblum, Greta Gerwig e Liev Schreiber – tudo esperado no vermelho da Berlinale tapete.

Será a quarta vez do Anderson em competição na Berlinale, após “The Royal Tenenbaums”, “The Life Aquatic with Steve Zissou” e “The Grand Budapest Hotel”, que iniciou o festival em 2014.

Steven Soderbergh está pronto para revelar “Unsane” estrelado por Claire Foy de “The Crown” em um thriller psicológico filmado em um iPhone sobre o desencadeamento digital.

– Júri de equilíbrio de gênero –

O casal fora da tela Joaquin Phoenix e Rooney Mara são esperados na capital alemã para promover sua última característica, “Não se preocupe, ele não ficará longe” pelo diretor norte-americano Gus Van Sant.

Baseia-se em um livro de memórias de John Callaham sobre sua experiência voltando-se para a arte depois de um acidente de carro deixá-lo paralisado.

Outros contendores incluem “Eva” do cineasta francês Benoit Jacquot, estrelado por Isabelle Huppert como uma femme fatale que causa estragos na vida de um proeminente escritor.

E o diretor norueguês Erik Poppe apresentará “U – 22 de julho” contando a história do massacre de 2011 cometido pelo neonazi Anders Behring Breivik, contado da perspectiva de suas 77 vítimas.

Willem Dafoe, atualmente nomeado para um Oscar como melhor ator de apoio para “The Florida Project”, vai pegar um urso de ouro honorário para a realização da vida.

Tom Tykwer, um dos diretores alemães atrás da minissérie de sucesso “Babylon Berlin” que agora aparece na Netflix, liderará um júri de gênero equilibrado, incluindo a atriz belga Cecile de France, a produtora “Moonlight” Adele Romanski, Time a crítica da revista Stephanie Zacharek, o compositor japonês Ryuichi Sakamoto e o historiador espanhol Chema Prado.

Em 2017, o “On Body and Soul” da Hungria, uma terna história de amor em um matadouro, ganhou o prêmio do Golden Bear do festival e agora foi nomeado para o melhor Prêmio de Academia de cinema em língua estrangeira.

Wolverine franquia “Logan” e drama transgênero chileno “A Fantastic Woman”, que também estreou na Berlinale do ano passado, também estão em exibição no Oscar no próximo mês.

Jornal de Goiás – Filmfest de Berlim para destacar o #MeToo momento
5 (100%) 1 vote
Tags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo