DestaqueEconomiaManchetesMundo

Jornal de Goiânia – Vinte e seis bilionários concentram tanta riqueza quanto metade da humanidade

A concentração de riqueza se acentuou a tal ponto em 2018 no mundo que 26 bilionários têm mais dinheiro do que as 3,8 bilhões de pessoas mais pobres do planeta, de acordo com um relatório da ONG Oxfam Internacional publicado nesta segunda-feira (21).

“O abismo que aumenta entre ricos e pobres penaliza a luta contra a pobreza, prejudica a economia e alimenta a raiva no mundo”, afirmou Winnie Byanyima, diretora executiva da Oxfam Internacional, citada em um comunicado.

“As desigualdades extremas estão descontroladas” no mundo, advertiu.

Segundo a ONG, em 2017 a proporção era de 43 bilionários que possuíam mais riqueza do que a metade mais pobre da humanidade.

Os governos “devem assegurar que as empresas e os mais ricos paguem a sua parte de impostos”, acrescentou.

Byanina falou com motivo da publicação do tradicional relatório anual da Oxfam sobre as desigualdades mundiais, antes do começo do Fórum Econômico de Davos (WEF), que acontece até sexta-feira em Davos.

“Estou aqui em Davos, onde se reúnem os responsáveis políticos e econômicos, para adverti-los que as desigualdades minam a democracia”, assinalou Byanyima.

As cifras da ONG se baseiam em dados publicados pela revista Forbes e pelo banco Crédit Suisse, uma metodologia questionada por alguns economistas.

Segundo a ONG, a riqueza do homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, dono da Amazon, alcançou no ano passado 112 bilhões de dólares. “O orçamento de saúde da Etiópia equivale a 1% da sua fortuna”, destaca.

De forma geral, a riqueza dos bilionários do mundo aumentou 900 bilhões de dólares no ano passado, a um ritmo de 2,5 bilhões de dólares por dia, enquanto a renda da metade mais pobre da população do planeta caiu 11%, detalhou.

“Estamos vendo como os mais ricos se amparam na riqueza e os mais desfavorecidos se afundam na pobreza”, denunciou Byanyima em entrevista à AFP.

A quantidade de bilionários duplicou desde a crise financeira de 2008, acrescentou a Oxfam.

A ONG constata que “os ricos se beneficiam não apenas de uma fortuna em plena expansão, mas também dos níveis tarifários menos elevados há décadas”.

“Se a tendência fosse contrária, a maioria dos governos teria recursos suficientes para financiar os serviços públicos”, destacou a Oxfam, que considera que “a riqueza está particularmente subtaxada”.

A Oxfam detalha que de um dólar de impostos nas rendas, somente quatro centavos provêm do imposto à riqueza.

“Os cidadãos estão furiosos (…) porque a economia não pode ser sólida se não tiverem pessoas com boa saúde e boa educação, sem o estado de direito, sem boas infraestruturas, com boa comunicação. Tudo isso é financiado por impostos e não estão porque os ricos não pagam a sua parte justa”, assegurou Byanyima.

Segundo a Oxfam, que estima que os mais ricos escondem do fisco 7,6 trilhões de dólares, em alguns países como Brasil e Reino Unido “os 10% mais pobres pagam impostos mais altos proporcionalmente a sua renda do que os mais ricos”.

Este relatório é publicado quando a pressão de taxar as grandes fortunas é alvo de debate em vários países.

Avalie esta postagem
Tags

# AFP

AFP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo