Jornal de Goiânia – Mudanças climáticas estão causando estragos nas geleiras da Colômbia

Colômbia possui seis glaciares de topo e uma riqueza de biodiversidade que a tornam especialmente vulnerável ao aquecimento global

A mudança climática ajudou a derreter quase um quinto da cobertura glacial da Colômbia em apenas sete anos, disse o governo na quinta-feira.

A superfície de suas seis geleiras diminuiu de 45 quilômetros quadrados em 2010 para 37 quilômetros quadrados em 2017, para um declínio de 18%, segundo o Instituto de Hidrologia, Meteorologia e Estudos Ambientais.

Culpou a perda de glaciares por “eventos extremos associados a fenómenos naturais e alterações climáticas”.

Se as coisas continuarem assim, a neve e o gelo que cobrem Santa Isabel, um vulcão nas montanhas da Cordilheira Central, poderão desaparecer nos próximos 10 anos, disse Omar Franco, chefe do instituto.

Nos últimos dois anos, a Colômbia perdeu seis por cento de sua massa glacial, segundo o instituto.

O ministro do Meio Ambiente, Luis Gilberto Murillo, disse que a Colômbia tem muito a perder com o aquecimento global porque, em todo o mundo, ocupa o segundo lugar do Brasil em termos de biodiversidade.

“Pedimos aos países que são grandes emissores de gases do efeito estufa que cumpram seus compromissos”, disse Murillo.

A Colômbia é um emissor de nível relativamente baixo, acrescentou ele, “mas, mesmo assim, tem impactos no país”.

Mostre mais

# Everton

Everton é jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar